RSS

Arquivo da tag: segurança

Bicicletários Criativos

Na maioria das cidades brasileiras, inclusive aqui em Porto Alegre, nós ciclistas sentimos falta não só das tão necessárias ciclovias, mas também de locais para deixarmos nossas bicicletas com segurança, os bicicletários. Esses são, geralmente, simples armações metálicas semi-circulares ou triangulares mas, às vezes, alguns designers deixam a criatividade aflorar e criam verdadeiras obras de arte para “estacionar” as magrelas.

Aqui em Porto Alegre temos os bicicletário do mercado público, com os arcos em forma de cuia, bem no espírito gaúcho que tanto gostamos de exaltar:

Mas que barbaridade esse bicicletário, tchê! (Foto: Ivo Gonçalves/PMPA)

Mas que barbaridade esse bicicletário, tchê! (Foto: Ivo Gonçalves/PMPA)

Mas em outras partes do mundo, é possível encontrar os mais inusitados exemplos de criatividade na hora de criar os bicicletários. Eis uma seleção daqueles que mais me chamaram atenção, seja pela funcionalidade, seja pelo formato incomum:

O pente é apenas decorativo, o que prende as bicicletas é o “fio de cabelo” de aço que entremeia os dentes. Virgínia - EUA

O pente é apenas decorativo, o que prende as bicicletas é o “fio de cabelo” de aço que entremeia os dentes. Virgínia - EUA (link)

Neste o carro de mentirinha serve como barreira para proteger as bicicletas dos carros de verdade. Reino Unido

Neste, o carro de mentirinha serve como barreira para proteger as bicicletas dos carros de verdade. Reino Unido (link)

Este bicicletário é inspirado nas pétalas de uma margarida. É apenas um conceito, não foi instalado em nenhum local

Este bicicletário é inspirado nas pétalas de uma margarida. É apenas um conceito, ainda não foi instalado em nenhum local (link)

Um bicicletário que também serve como um banco. Ou seria o contrário?

Um bicicletário que também serve como um banco. Ou seria o contrário? (link)

A idéia por trás desse bicicletário é bem simples, proteção contra o clima.

A idéia por trás desse bicicletário é bem simples, reduzir o espaço e proteger contra o clima. (link)

Uma bicicleta para proteger as bicicletas, simples, mas bem interessante. Alaska - EUA.

Uma bicicleta para proteger as bicicletas, simples, mas interessante. Alaska - EUA. (link)

Um hangar para bicicletas além de proporcionar proteção contra o clima, aumenta a segurança contra roubos.

Um hangar para bicicletas além de proporcionar proteção contra o clima, aumenta a segurança contra roubos. (link)

Mas o local com a maior concentração de bicicletários diferenciados é na cidade de Portand, no estado do Oregon, EUA. Lá, uma lei municipal permite que bicicletários fora do padrão sejam instalados em qualquer local, com autorização prévia. Essa lei, acabou por incentivar, não só artistas a criarem bicicletários curiosos, como empresas a criarem racks temáticos em frente às suas sedes.

Confeitaria

Confeitaria

Clínica médica

Clínica médica

Consultório dentário

Consultório dentário

A silhueta dos totens da Ilha de Páscoa decoram a fachada de um bar de karaokê temático

A silhueta dos totens da Ilha de Páscoa decoram a fachada de um bar de karaokê temático

Não parece um bicicletário, mas é.

Não parece um bicicletário, mas é.

Gêneros no bicicletário em frente a uma das sedes da Federação Americana de Paternidade Planejada.

Gêneros no bicicletário em frente a uma das sedes da Federação Americana de Paternidade Planejada.

Mais uma bicicleta.

Mais uma bicicleta.

Infelizmente toda a segurança do mundo não é o suficiente para proteger a sua bicicleta, mesmo com boas correntes prendendo todos os componentes móveis, se ninguém estiver de olho, um ladrão determinado consegue fazer milagres para levar a nossa bike (ou partes dela) embora. Você tem coragem de deixar a sua bike em qualquer bicicletário? Eu não, infelizmente :(

Dica: É possível encontrar um mapa colaborativo dos bicicletários de Porto Alegre aqui.

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 10/03/2012 em Arte, Ciclismo

 

Tags: , , , , ,

Rua x Calçada. Por que andar em meio aos carros?

Sábado quase fui derrubada por um motorista que passou tão rente à minha bike que o espelho esbarrou no meu guidão. Não bastasse isso, irritado, o cidadão parou pouco adiante e acelerou parado para gerar fumaça e me atrapalhar. Isso num horário de pouquíssimo trânsito, em uma avenida de 3 faixas sendo que eu estava trafegando na faixa da direita. Eu não respondi, xinguei ou mostrei o dedo porque sei que a bicicleta tem tanto direito de circular na via quanto os carros, e isso é garantido pelo CBT, eu estava cumprindo todas a leis e não estava atrapalhando o trânsito logo, o ignorante era ele, não eu. Esse tipo de incidente geralmente não ocorre quando estamos em grupos maiores, creio que seja porque um grupo grande acaba por intimidar o motorista. É muito mais fácil abusar e reprimir um grupo pequeno ou um indivíduo.

Creio que o que mais irrita os motoristas é a combinação de dois fatores: a óbvia limitação de velocidade da bicicleta (diferente do carro, temos que fazer um esforço físico considerável para sairmos do lugar) e o fato de que não andamos rente ao meio fio, na sarjeta, como muitos pensam que nós devíamos. Não estamos tentando ser donos da rua. Não pedalamos rente ao meio fio porque, embora possa não parecer, é muito mais arriscado andar próximo à calçada do que andar na via. Por isso achei muito interessante esse artigo que um amigo ciclista compartilhou hoje no Facebook e compartilho com vocês também.

“É muito mais seguro para o ciclista ocupar a faixa, porque força os motoristas que não aceitam cumprir o 1,5m a mudar de faixa para fazer uma ultrapassagem segura. Pedalando sobre a sarjeta, o ciclista seria vítima de motoristas que acham 1,5m muita distância e insistem em passar quase raspando no ciclista.”

Por que há ciclistas quem andam no meio da rua?

 
1 comentário

Publicado por em 09/08/2011 em Ciclismo

 

Tags: ,

Pra começar: dicas pra quem está iniciando no ciclismo.

Eu sempre fui fã da bicicleta como lazer, mas só recentemente comecei a encará-la como esporte. E logo que iniciei já recebi uma enxurrada de conselhos e dicas dos ciclistas mais experientes. Então resolvi reunir as melhores – e algumas que eu acabei descobrindo por mim mesma ;) – e compartilhar aqui no blog, afim de ajudar outros ciclistas iniciantes como eu.

Dos equipamentos necessários:

Existem inúmeras opções de equipamentos e acessórios para a bicicleta e para o ciclista, sejam para segurança, conforto ou até mesmo pra adicionar um pouco de estilo à pedalada. Mas existem alguns que são indispensáveis:

  • Capacete: por mais precavido e responsável que seja o ciclista, nunca se sabe quando surgirá um pedestre distraído, um motorista apressado ou até mesmo uma pedra ou buraco no caminho. O capacete pode salvar a vida do ciclista no caso de uma queda (meu pai já caiu de bike e bateu a cabeça com tamanha violência que o capacete se desfez em vários pedaços, ele não feriu a cabeça). Existem vários tipos de capacetes de ciclismo, com os mais variados tamanhos, cores, sistemas de regulagem e preços.

Exemplos de capacetes de ciclismo

  • Luz de sinalização traseira: É muito importante que o ciclista seja visto no trânsito, especialmente à noite. Refletores fazem um bom trabalho, mas as luzes são muito mais eficientes, pois chamam mais atenção e não necessitam de outra luz para serem vistas. Essas luzes são fáceis de encontrar, baratas e simples de instalar.

Lanternas traseiras

Do trânsito:

A bicicleta é um meio de transporte e deve seguir as mesmas regras de trânsito que os carros. Jamais ande na contramão ou sobre calçadas, lugar de bike é na rua. Ande sempre pelo lado direito da via, não muito próximo do meio-fio – você não quer tropeçar na calçada com o pedal. Utilize roupas claras e chamativas, você quer ser visto pelos carros. Sempre respeite os semáforos, sinalize para os carros que vem atrás de você com os braços quando for fazer uma conversão e – muito importante – respeite as faixas de pedestre! Pode não parecer, mas um atropelamento de bicicleta pode ter consequências muito sérias, tanto para o pedestre quanto para o ciclista.

Saiba mais sobre os direitos e deveres da bicicleta no trânsito consultando o Código de Trânsito Brasileiro.

Outras dicas:

  • Use e abuse do câmbio. Não tenha medo das lombas, as marchas leves são suas melhores amigas nessas horas de sufoco.
  • Pedale no seu ritmo, se você correr demais pode não conseguir voltar para casa depois.
  • Procure amigos que gostem de pedalar e combine passeios nos horários livres, como fins de semana ou noites. Outra opção são grupos de ciclismo na sua cidade, muitos organizam pedaladas em grupo. Essa é uma boa maneira de conhecer pessoas novas e aprender mais sobre ciclismo.

O ciclismo é uma atividade divertida, desafiadora e que não exige grandes investimentos. Se você tem uma bike velha nos fundos da sua casa que só está servindo pra acumular poeira, resgate-a, revise-a, conserte-a e leve-a para uma volta. Vale a pena. :)

 
2 Comentários

Publicado por em 03/04/2011 em Ciclismo

 

Tags: , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: